segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Frase de Florbela Espanca, poetisa portuguesa, morta aos 36 anos, no dia 08 de dezembro de 1930:

 

“O meu mundo não é como o dos outros, quero

demais, exijo demais, há em mim uma sede de

infinito; sou antes uma exaltada, com uma alma

intensa, violenta, atormentada, uma alma que  

não se sente bem onde está, que tem saudades...

sei lá de quê!”

2 comentários:

LUCIA ROSA disse...

Tb gosto dessas anomalias que me oferece a internet,filosoficamente falando sou apaixonada por poesias que seje pura ou impura,gosto desse sentimento que flora a flor da pele,que exala,transpira e transmite
o que realmente somos,enfimsou apaixonada ,amante e ainda inconstante de td que vejo e vivo.

LUCIA ROSA disse...

se pudermos comunicarmos mando ai meu email
luciarosacarvalho@hotmail.com